Relato de prova: XTERRA COSTA VERDE I ENDURANCE 50K

Hoje deixo o meu breve relato sobre o XTERRA Costa Verde I Endurance 50K 2015, a prova foi realizada na cidade de Mangaratiba – RJ na região chamada de Costa Verde nos dias 07 e 08 de março. Empreendido pelo XTERRA BRASIL, o evento é um verdadeiro festival esportivo, como eu nunca tinha visto antes, tudo começou na sexta-feira com a retirada de kits  e finalizou no domingo com a prova de triathlon e as premiações.

Minha primeira prova de montanha acima dos 21Km, estava aguardando uma ocasião especial, e a prova atendeu plenamente as minhas expectativas.

Minha primeira prova de montanha acima dos 21Km, estava aguardando uma ocasião especial, e a prova atendeu plenamente as minhas expectativas.

Pessoalmente essa foi uma prova muito especial, pois foi a minha primeira maratona, já me sentia preparado a um bom tempo para realizar os 42Km, porém estava aguardando uma prova memorável e posso dizer que o Endurance 50K atendeu as minhas expectativas.

Hotel Portobello Resort e Safari - Imagem: Tripadvisor

Hotel Portobello Resort e Safari – Imagem: Tripadvisor

A sede da prova foi no hotel Portobello Resort e Safari, um hotel bem “simples”, com pista de pouso para aviões de pequeno porte, marina, heliporto e como o nome já diz um safari.rs A organização da prova fechou um contrato para hospedagens com valores promocionais, a diária para o apartamento single standard custava módicos R$ 640,00, ficamos em um hotel bem simples (e sem café da manhã) chamado Jacareí Nevada Praia Hotel onde a diária saiu a R$ 165,00 para duas pessoas, um dica importante para quem for participar de futuras edições, reserve o seu hotel com muita antecedência, por pouco mais poderíamos ter ficado em um hotel com estrutura e conforto superior, mas demorei para fazer a reserva e já estava tudo ocupado.

Hotel Portobello Resort e Safari - Imagem: Imovelvip

Hotel Portobello Resort e Safari – Parte da area do Hotel – Imagem: Imovelvip

Às 07:00 do sábado foi dada a largada para os atletas dos 50Km, o primeiro e segundo quilometro já iniciam com um desnível positivo de quase 100m, e na sequência o oleoduto da Petrobras, que não é um trecho muito longo, cerca de 2Km mas com muito desnível (+200m), depois disto um trecho quase plano em meio a estradinhas da região.

Guerreiros paranaenses no XTERRA.

Guerreiros paranaenses no XTERRA.

Algumas semanas ante desta prova fiz um treino na Estrada da Graciosa no Paraná, o mesmo foi de muita valia, pois na prova passamos pela chamada Serra do Piloto, de certa forma bem parecida com a Estrada da Graciosa, foram 7Km com 250m de desnível positivo, infelizmente no asfalto, mas com uma bela vista para o litoral e monstruoso oleoduto que passamos anteriormente.

Galera do Paraná momentos antes da largada. Foto: Gigio Zem

Galera do Paraná momentos antes da largada. Foto: Gigio Zem

No km15/16 chegamos ao posto de controle, que contava com uma mesa com frutas e Coca Cola, após aquela revigorada, iniciou-se uma descida forte, descemos tudo o que subimos e mais um pouco, voltamos a pegar o oleoduto no sentido contrário, dessa vez sem o vigor da primeira passagem, mas ainda assim estava me sentindo bem, porém no km38 as pernas começaram a falhar já era um trecho praticamente plano, durante toda prova minha estratégia de alimentação estava dando certo,  quase que na reta final (literalmente)  esqueci que tinha que comer, no km42 tomei um gel com cafeína que veio no Kit e um Advil, alguns minutos depois as dores passaram e voltei a correr (quase me arrastando, pace de 8:30 min\km), encontrei o Titai aqui de Curitiba e fomos correndo juntos até a linha de chegada, passamos o portal com o mesmo tempo 6:17:03.

Cruzando um rio por volta do Km 42.

Cruzando um rio por volta do Km 42. Imagem: XTERRA BRAZIL

Ocupei a 37º colocação no geral masculino, me dei por satisfeito pelo meu tempo, poderia ter sido um pouco melhor se tivesse cuidado adequadamente da alimentação nos quilômetros finais, mas faz parte, aprendizado para as próximas provas.

Trecho da trilha do XTERRA COSTA VERDE I 2015, creio que esse trecho era no oleoduto. Foto: Gigio Zem

Trecho da trilha do XTERRA COSTA VERDE I 2015, creio que esse trecho era no oleoduto. Foto: Gigio Zem

Me chamou atenção o nível de organização e marcação do percurso, nota 10, os patrocinadores Red Bull e Maçãs Turma da Mônica distribuíram gratuitamente seus produtos (nunca comi tanta Maçã na vida, e o Cerdeiro deu prejuízo com a Red Bull deve ter tomado umas 30 latinhas, a Exceed deu de brinde, barras de proteína e gel para os atletas. Na chegada massagem, crioterapia, barras de proteína, frutas, energético e isotônico.

Carro de som do evento.

Carro de som do evento.

Outro aspecto importante que não é exclusividade desta prova, mas sim de todas provas de Trail Running são as pessoas que conhecemos, tive a oportunidade de viajar para o Rio com o Felipe Moletta e seu pai João, pessoas extraordinárias, além do Thiago Cerdeiro que já é um velho conhecido, conheci pessoalmente o Titai Moraes e a Débora Soeiro, antes apenas amigos no Instagram.

Companheiro de viagem Thiago Cerdeiro em uma foto "badass" Imagem: XTERRA BRAZIL

Companheiro de viagem Thiago Cerdeiro em uma foto “badass” Imagem: XTERRA BRAZIL

Pódio do Felipe Moletta campeão do triathlon nessa etapa e também do circuito XTERRA 2014. Gente finíssima junto com o seu pai e o Thiago foram companheiros de viagem.

Pódio do Felipe Moletta campeão do triathlon nessa etapa e também do circuito XTERRA 2014. Gente finíssima junto com o seu pai e o Thiago foram companheiros de viagem.

Largada do triathlon XTERRA COSTA VERDE I 2015.

Largada do triathlon XTERRA COSTA VERDE I 2015.

Mapa do Percurso 2014

Mapa do Percurso 2014

Mapa do percurso 2015

Mapa do percurso 2015

 

Abraços e até a próximo relato que será do Short Mision 2015.

Link da prova 2015: http://xterrabrasil.com.br/tour-2015/etapas/etapa-costa-verde/

Autor: Diego Denega

Compartilhar essa postagem

2 Comments

  1. Bom saber que a organização do X-Terra está mandando bem, ainda mais agora que não contam mais com o apoio da TNF, né.
    Estou com trauma de provas mal organizadas! rs
    Qual foi a proporção entre terra/asfalto? Tenho vontade de correr alguma etapa do X-Terra, mas sempre reclamam que os percursos costumam ter quase 50% de asfalto ou paralelepípedo, e assim não anima rs.

    Post a Reply
    • Olá Gabriel! Para mim foi uma surpresa positiva, acima do nível do que estou acostumado por aqui…rs Sobre a proporção eu diria que foi uns 30% de paralelepípedo (subida e descida da Serra do Piloto), 15% de asfalto e o restante single track\estrada, foi bem legal. Abraços!

      Post a Reply

Trackbacks/Pingbacks

  1. Relato de prova: Pro Trail Running e Copa Brasil de Corrida em Montanha Paranaguá | Trail Running - […] no asfalto e entramos numa trilha que dava vista para um oleoduto quase vertical (lembrou o XTERRA Endurance Costa Verde),…

Digite seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *