O além é logo ali…

Quando criança era comum brincarmos na rua (bons tempos…), mas minha mãe estabeleceu um limite, eu podia ir três casas para cima ou para baixo, nada além disso, porém como esperado de uma criança, vez ou outra eu ultrapassava meus limites, as vezes  indo até a esquina da rua, passar esses limites era uma aventura emocionante, afinal eu fui, voltei e nada aconteceu (crianças não façam isso, obedeçam seus pais).

O tempo passou e aos 18 anos tirei a sonhada CNH, comecei a dirigir pelas redondezas do meu bairro, evitava o centro, pois considerava uma zona de trânsito caótico, tinha medo de bater o carro, o mesmo com as viagens que tinham no máximo 300Km, até o dia que parti rumo ao “desconhecido” numa jornada que totalizou mais de 2500Km, e foi ótimo.

Acompanhado sempre é mais fácil ir adiante, divide-se responsabilidades, tem o apoio, a segurança é maior, porém sozinho aquela sensação de insegurança fica pairando, mas não a considero ruim, esse “medinho”, esse frio na barriga é até gostoso, faz sentir que estou vivo, dentro de uma aventura rumo ao desconhecido em que tudo pode acontecer.

Passei um bom tempo sem sentir essa sensação, pois hoje posso ir aonde eu quero com o carro e ir muito além das 3 casas.

Como sentir novamente?

A resposta para a pergunta que eu não me fazia, foi respondida no início de maio de, quando decidi fazer um treino solo de corrida saindo de casa, indo até o final da Avenida Nossa Senhora da Luz, objetivo alcançado, porque não ir até o Jardim Botânico e dar uma volta? Finalmente lembrei-me da sensação de ir além, rumo ao incerto, and i liked! Parece bobo, mas eu nunca fui tão longe de casa sozinho correndo ou caminhando.  (não carregava nenhum apetrecho de corrida, nem mesmo dinheiro).

11/05, Dia das Mães, minha mãe mora em Brasília, esposa trabalhando o dia todo e os amigos com suas famílias, oportunidade perfeita para ir de encontro com o “mais além” novamente.

O plano

Consistia em sair do Boa Vista e ir até a Gruta do Bacaetava em Colombo, joguei no Google Earth e vi que a distância seria superior a uma maratona, 46Km ida e volta, vontade e disposição eu tenho, mas me falta condicionamento físico, melhor não arriscar.

Plano B

Fazer um percurso interparques, a ideia era sair de casa, passar pelo parque São Lourenço, chegar ao Parque Tanguá e retornar.

SQN

Na noite anterior fui dormir por volta das duas horas da madrugada e acordei ás cinco e quarenta  para deixar a esposa no trabalho, ao levantar ainda de noite com garoa e frio percebi que não ia rolar sair cedo como planejava, cheguei em casa as sete e fui cochilar, as nove acordei para ver a quarta vitória consecutiva do Lewis Hamilton e finalmente animei para iniciar o treino. (Ainda com olheiras, vide fotos)

Checklist

Diferente do treino no Botânico, resolvi ir preparado, até porque garoava e estava frio, mochila de hidratação, meias de compressão, gel, água, sal, corta vento, dinheiro, CNH e celular.

Lets the training begin!

Saí de casa, passei pelo Parque São Lourenço dei uma volta no parque, passei pela Ópera de Arame, até chegar no Parque Tanguá foram 10Km percorridos,  pouco antes vi a placa da Unilivre, lá tem um estrutura de madeira imensa, aonde você pode correr a subida em círculos, parti Unilivre, na saída lembrei que o Bosque do Alemão também fica na região, mais um destino, como não conheço bem o Bom Retiro tive que catar informações várias vezes, ainda assim me perdi, faz parte, cheguei no bosque e corri na trilha de pedras escorregadias.

Hora de voltar pra casa, as pernas já apresentavam fadiga, tinha rodado 17Km, decidi fechar o treino indo ao Parque do Bacacheri (quase quintal de casa), conclui o treino que foi em homenagem a minha mãe.

Números

Foram 26Km em 3h15min num pace de 7m31s com desnível positivo de 528m e desnível total de 1073m, mais uma vez fui além do planejado, com quebra de recorde pessoal de distância até então meu recorde era 23,3Km (da prova de Corupá), essa foi a semana de quebra dos meus recordes, dias antes corri 5Km em 27min35s, com pace de 05min:27s, meu recorde anterior era pouco abaixo dos 06min, semana produtiva.

mapa_treino_26k

Mais uma vez consegui ir um pouco mais longe… Agora que me lembrei do quão bom isto é, terei que fazer com mais frequência, de preferência por trilhas e montanhas.

 

 

Autor: Diego Denega

Compartilhar essa postagem

4 Comments

    • Obrigado Gabriel!
      Gostei do seu post, um dia se Deus quiser farei uma travessia internacional também.
      Abraço!

      Post a Reply
    • Obrigado tia Sheila, estamos esperando a visita de vocês para contar um pouco dos perrengues que passamos nessas corridas.rs Beijos

      Post a Reply

Digite seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *