Walter Filho, Autor em TrailRunning.NET | Corridas de Montanha | TrailRunning.NET | Corridas de Montanha
26 horas de Half Mision Brasil 2015!
jun27

26 horas de Half Mision Brasil 2015!

Antes de começar, quero ressaltar que este post está atrasado 2 anos, por minha única e exclusiva culpa. Então vamos lá! A Half Mision Brasil, realizada na cidade de Passa Quatro-MG, é uma franquia da corrida La Mision realizada na Argentina há 10 anos. Utiliza a Serra Fina na divisa entre Minas Gerais e São Paulo como percurso para uma prova de muita beleza e dificuldade. Tanto a beleza quanto a dificuldade ocorrem pelo terreno acidentado e sequencia de montanhas que a trilha percorre. A largada da prova deste ano ocorreu, assim como nos dois anos anteriores, na praça central de Passa Quatro às 09 da manhã com um ligeiro atraso. O clima entre os competidores era de muita descontração e companheirismo, típico das provas de corrida de montanha. Grandes companheiros de treino e de outras provas estavam juntos para esta aventura. Mochilas carregadas com bastante água, comida, agasalhos, primeiros socorros, capacetes e lanternas dão o tom da extensão da prova e das muitas horas que passaríamos desfrutando das belezas da Mantiqueira. Lado a lado, corredores das provas de 80 e 40 quilômetros iniciaram a corrida nas ruas de paralelepípedo da cidade até chegar a uma estrada de terra onde uma subida de 15k nos levaria ao primeiro posto de controle e início da trilha. Junto ao Refúgio Serra Fina, fizemos o reabastecimento de água, tivemos o número informado ao PC(Posto de Controle) e iniciamos por uma trilha íngreme e escorregadia em direção ao Capim Amarelo. Já tínhamos vencido uns 500m de desnível positivo até o refúgio e viriam mais 1000m até o alto do Capim Amarelo (2450m), em uma sequência de trechos de pedra e mato rasteiro alternados por trechos de mata fechada, sempre com muita subida. A vista neste trecho estava muito bonita, com montanhas escarpadas e um mar de nuvens que escondia a cidade de Passa Quatro e os vales no entorno. Para cima, as montanhas estavam iluminadas pelo sol da tarde e o vento esfriava o corpo a cada parada para descanso. No Capim Amarelo (outro PC) a prova seguiu um longo trecho por cristas e cumes de outras montanhas até chegar ao ponto mais alto da prova, a Pedra da Mina(2750m). Um pouco antes da subida final, uma parada para abastecer de água todos os reservatórios, pois o próximo ponto apenas num lugar conhecido como Paiolinho, umas 6 a 8 horas a frente. A chegada ao cume foi por uma longa rampa de capim baixo e pedras iluminadas pelo sol da tarde, mas que nem por isso dispensavam o corta-vento. Lá em cima informação ao PC, uma checada no horário(17:00), fotos e uma parada...

Leia mais
Crônica dos Perdidos
jul23

Crônica dos Perdidos

Há 10 meses, vivi um grande momento neste esporte que escolhi para fazer e que é, para mim, um dos mais gratificantes que já pratiquei. Gratificante pelo estilo ao ar livre, pelas paisagens, pelo companheirismo incondicional e pelo desafio constante e crescente à cada prova que é a Corrida de Montanha. Minha estréia nas corridas de montanha foi em 2011, no Morro da Cruz em Colombo-PR. “Sofri feito cão”, mas adorei cada km dos 12 percorridos. Bom, voltando há 10 meses, em 12/10/2013, completei em 7h41 os 40km da Short Mision da Serra Fina. Para mim, um grande feito! Principalmente, porque fiz a prova bem disposto e completei com a sensação de que podia ainda correr mais uns 10km, além dos lugares incríveis pelos quais passei. Para este ano, novos desafios. Preparei um calendário progressivo, visando chegar na Serra Fina novamente e fazer os 80km desta vez. No caminho, estava a Maratona dos Perdidos, que em sua segunda edição seria um grande desafio, só não maior que a primeira edição, onde as histórias de mau tempo e dificuldades do percurso em si mostravam que esta não é uma prova qualquer. Na madrugada do dia 19 de julho, cheguei ao ônibus para o transporte até a base do Morro dos Perdidos, em Tijucas do Sul. No ônibus, a conversa não poderia ser outra: “A prova é dura”, “me preparei assim”, “treinei de tal forma”, “não treinei o quanto queria” e assim por diante. As 4:20 saímos da Praça Oswaldo Cruz em Curitiba e praticamente uma hora depois com o céu ainda escuro, desembarcamos na chácara do Osmarildo que serve de QG para a turma de destemidos dispostos a enfrentar os insanos 44km da prova. Bom, a prova dos Perdidos começou muito bem. O dia estava perfeito para uma corrida de montanha. Céu limpo e um frio característico da região de serra. A subida do Morro dos Perdidos, de 6km, mostrava um visual que poucas vezes treinando por aquelas bandas consegui ver. Quase chegando nas antenas encontro com o Luiz Voronovicz (na verdade ele me alcançou e passou), com sua disposição e simpatia costumeiras. Então a paisagem se descortina naquele dia claro e mostra uma visão ótima lá de cima. Logo depois encontro com o Fabio “Japa” no topo e bora descer! A descida já não tinha a mesma velocidade de outrora por conta da lesão no joelho, o que criou um receio crescente de uma torção de joelho ou outra lesão, mas continuei mesmo assim. Lento e constante cheguei de volta à estrada, onde um trote me levou até a trilha da cachoeira e depois a uma subida forte na...

Leia mais