Diego Denega, Autor em TrailRunning.NET | Corridas de Montanha | TrailRunning.NET | Corridas de Montanha
Colônia Castelhanos no PLUG da RPC
abr16

Colônia Castelhanos no PLUG da RPC

Salve galera corredora e aventureira! Para quem gostou da postagem “O melhor pior treino que já fiz (Colônia Castelhanos)” para quem ainda não leu, leia rs O programa mostrou coisas novas até para mim um ex-assíduo frequentador, como a Cachoeira da Vaca, ponto de visita obrigatório no meu próximo treino! Tivemos até imagens do meu amigo Bruno feitas pelo também meu amigo Fábio Takeshi Sakamoto (vulgo “Japa”). Veja a reportagem na Colônia Castelhanos com a extrovertida Michelly em: https://gshow.globo.com/RPC/Plug/resumo/aventura-natureza-e-bananas-o-plug-foi-a-colonia-castelhanos.ghtml A seguir o trecho de texto do link acima, com informações de contato que você pode precisar: O programa não poderia ter começado melhor: conheceu a Cachoeira da Vaca! Lindona, né? Para visitar, é preciso entrar em contato com o Daniel, o Antônio ou a Maria: (41) 9-9746-4951 ou (41) 9-9241-4951. Depois , Michelly passamos por uma ponte pênsil. Tem que ter coragem! E como a gente adora uma boa comida, aí vai uma sugestão de lugar para almoçar enquanto estiver fazendo seu passeio: seu Anselmo “Liminha” costuma preparar uma refeição caprichada para os turistas que agendam com antecedência. É só ligar no número (41) 3629-9001 ou (41) 9-9992-8210 e marcar! Falando em comida… dona Maria ensinou uma receitinha de chips com banana, fruta que existe em abundância lá na Colônia. Hmmmmmm! Banana pra cá, banana pra lá… Como banana não falta, o Plug conheceu a cooperativa Coocastel e descobriu como é feito o armazenamento e a distribuição da fruta. Contato: (41) 9-9251-7940. E para quem é ligadinho no programa e ama conhecer o Paraná, uma informação importante: dia 20 de maio, vai rolar a Festa da Banana, lá na cooperativa. Aqueles que quiserem ir podem mandar pra gente uma foto no evento! Vamos adorar. 😉❤ Dica extra: existem guias que levam visitantes para fazer trilhas pela Colônia. Quem tiver interesse pode contatar o Renato Cesar Chupill: (41) 9-9638-8004 ou (41)...

Leia mais
Ultramaratona dos Perdidos no Globo Esporte EU ATLETA
ago07

Ultramaratona dos Perdidos no Globo Esporte EU ATLETA

O Morro dos Perdidos juntamente com o Caminho dos Castelhanos e Morro do Araçatuba é considerado a santa trindade dos corredores de montanha aqui do Paraná, ao juntar os três percursos a TRC criou provavelmente a ultramaratona mais difícil do país com 105 Km e quase 5000 metros de desnível positivo (como referência a maratona do Everest tem “apenas” 2777 metros de ganho de elevação), ou seja diversão e sofrimento garantindo para os malucos que toparam encarar esse desafio. O Globo Esporte fez uma reportagem bem bacana da Ultramaratona dos Perdidos, já conferiu? Não?! Então acesse o link o abaixo e assista, nossa amiga Marta Buard foi um dos destaques nessa reportagem. http://globoesporte.globo.com/pr/eu-atleta/noticia/ultramaratona-dos-perdidos-mostra-garra-e-foco-por-centenas-de-quilometros.ghtml Um trecho da reportagem: Passar a madrugada, o dia correndo, percorrendo trilhas, montanhas e vales tudo em uma paisagem vista por poucos. Essa foi a Ultramaratona dos Perdidos, um desafio de 105 quilômetros em Tijucas do Sul e Guaratuba, no Paraná. A maratona dos Perdidos já é famosa e existe desde 2013, mas, desde o ano passado, a organização foi além, criou um novo percurso fazendo nascer umas das provas mais difíceis do Brasil. A primeira edição não saiu conforme o esperado. Culpa das fortes chuvas, que obrigaram aos organizadores a cancelarem por questões de segurança. Agora foi diferente. A noite estrelada na hora da largada mostrou isso. Os corredores começaram a jornada às 22h de uma sexta-feira, atravessando a madrugada pelos vales e encostas da região do Castelhanos, boa parte do trajeto em estrada. O maior desafio começou um pouco antes do amanhecer. A estrada deu lugar às trilhas e montanhas. Primeiro, o Morro dos Perdidos, depois o trecho final no Araçatuba, com 1673 metros de altura. Agora foi diferente. A noite estrelada na hora da largada mostrou isso. Os corredores começaram a jornada às 22h de uma sexta-feira, atravessando a madrugada pelos vales e encostas da região do Castelhanos, boa parte do trajeto em estrada. O maior desafio começou um pouco antes do amanhecer. A estrada deu lugar às trilhas e montanhas. Primeiro, o Morro dos Perdidos, depois o trecho final no Araçatuba, com 1673 metros de altura. O vencedor foi o carioca Chico Santos, com o incrível tempo de 12 horas, 58 minutos e 26 segundos. – Difícil, como uma prova deve ser. Eu me senti muito bem, sempre espero que seja difícil, pois entramos para competir. Um dia lindo que ajudou em todos os sentidos. No feminino, a vencedora foi Elizabeth Dias do Prado, com 18 horas, 17 minutos e 19 segundos. Das seis mulheres que largaram, apenas quatro concluíram, cada uma com suas histórias. Segunda colocada, Claudia Nogueira liderou boa parte...

Leia mais